As melhores receitas do planeta

Tô roubando a frase que o Cesar Augusto usou numa reportagem. “Não sei se isso diminui ou aumenta a saudade.” Ele se referia à música, eu me refiro a tudo.

Lembro da minha felicidade, com alguns meses de Estados Unidos, ao encontrar um vidro de palmito no supermercado. E que ginástica que a gente fazia para tentar imitar os sabores do Brasil! Prá fazer pastel? Usa a massa de rolinho primavera dos chineses! Erva mate? Tenta a argentina. Requeijão? Tem nos mercadinhos israelenses, bem parecido.

Pros recém-chegados, as “noites brasileiras” em algum bar da cidade servem como alento e desabafatório. É onde a gente encontra gente que está no mesmo barco. O primeiro contato de quem se conhece lá fora parece prosa de presidiário: há quanto tempo tá aqui, tá aqui por quê, quanto falta prá sair…

Mas migrar é como enfiar o pé numa areia movediça (“um dia eu volto, ano que vem eu volto”, são as promessas que mais se escuta), e em seguida quem mora fora tem que ser mais agressivo na reinvenção do seu cotidiano. Meus pais perceberam isso: todo mês aparecia uma generosa caixa dos Correios do Brasil, recheada de bombons, temperinhos, sabonetes, calcinhas e notícias. Notícias em bilhetes, fotos, revistas e jornais. Naquela época a internet ainda engatinhava, e que alegria era tomar um chimarrão no fim de semana folheando recortes da Zero Hora…  Exagero? Tinha gente que alugava fitas VHS com capítulos de novelas!

Em mais de uma década lá fora vi as coisas evoluindo pros imigrantes, o comércio da saudade crescendo. Passei a frequentar um mercado latino que tinha corredores decorados com bandeiras de países. Productos brasileños acá – centroamericanos allá. Ficou mais fácil encontrar raridades: se quiser picanha é só pedir pro açougueiro que ele corta, e tem queijo catupiry, creme de leite, café de verdade (vamos combinar, os americanos tomam “chafé”),  forminhas pra docinhos, azeite de dendê, pequi em conserva.

Pequi em conserva? Sim, pequi é iguaria que os goianos não vivem sem. Outro privilégio de viver no exterior é conhecer um Brasil que eu provavelmente não conheceria se tivesse ficado por estes pagos. Na produção e reportagem do “Planeta Brasil”, programa sobre brasileiros no exterior, abracei gente e experimentei quitutes de todo o país. O Frango com Pequi é uma delícia! Saboreado ao som de uma moda de viola, como foi durante a reportagem numa casa ao norte de San Francisco, então… Ganhei alguns quilos sem culpa. Em cada casa de imigrante nossa equipe era sempre esperada com esse carinho gastronômico, do pão de queijo ao carreteiro à tapioca ao doce de jaca em conserva.

A verdade é que não sei se isso facilita ou dificulta a adaptação ao outro país, se alivia a saudade e a distância ou só aumenta a vontade de estar em casa. Na dúvida, sempre dei um jeito de engrossar meu livro de receitas.

Quando nos receberam para contar sua história de amor em San Diego (sul da Califórnia), Beto e Márcia prepararam um café da manhã de dar inveja a qualquer hotel cinco estrelas. Lá provei o Bolo de Banana com Chocolate – que leva um pouco da Bahia prá qualquer canto do planeta.

4 ovos
1 xícara (chá) de azeite
6 bananas nanicas
2 xícara (chá) farinha de rosca
1 colher (sopa) fermento em pó
2 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) achocolatado em pó
1 colher (chá) de canela em pó

Bater tudo no liquidificador; colocar a massa numa forma untada com azeite e uma mistura de canela com açúcar. Forno por 45 minutos.

Anúncios

7 respostas em “As melhores receitas do planeta

  1. Sem falar na queijadinha e no bolo de milho que aprendi a fazer só mesmo estando lá. Nada como a distância para nos fazer tornar boas quituteiras!

  2. Tanira ,
    consigo me ver e identificar as mesmas ,saudades ,vontades ,caixas do correrio ,ZH e tudo mais .
    Com a diferenca de ainda estar por aqui e sempre na duvida se nao e hora de voltar .Vida de imigrante nao e facil,kkkk
    bjs

  3. Tanira,

    Que legal, adorei o blog. Pude sentir a fundo teus relatos de ser imigrante ou ex migrante kkkk
    saudade de ti, guria. Let’s keep in touch.

    beijinho

    edna

  4. Acabei de ler a receita e corri pra cozinha fazer o bolo, naõ preciso te dizer que tive que telefonar pra tua mãe pra dizer que não tinha líquidos na receita(leite, água..) e estava uma massa dura, ela disse que era ssim mesmo, bem ….estou aqui de volta me deliciando com o bolo. Aí pessoal podem experimentar!! Gostosíssimo!

E tu, o que me dizes?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s